web analytics

Livros – Uma Pequena História do Mundo

Sugestão de Leitura: Uma Pequena História do Mundo de E.H. Gombrich
Um livro de História, escrito para os mais novos mas que cativou os mais velhos, afinal quem não ouviu as “histórias da história”.
Por vezes, utilizo como livro de apoio às Explicações de História, pois os principais acontecimentos históricos são contados de uma forma descontraída e simples.
9789728955908

História 7º Ano – Egipto

Conceitos essenciais para a Unidade “Contributos das primeiras civilizações – Egipto“:
Rio Nilo: atravessa o território desértico do Egipto, corre de sul para norte, as terras férteis estão ao largo das suas margens;
Agricultura: transformação das terras pantanosas em terras cultiváveis através da drenagem, diques, irrigação de campos;
Principais produções agrícolas: cereais, linho, vinha, legumes, árvores de fruto, papiro;
Pecuária: gado bovino, carneiros, burros;
Produção artesanal: tecelagem, metalurgia, cerâmica, ourivesaria, mobiliário;
Comércio: intensa trocas comerciais entre as diversas regiões do Egipto, trocas comerciais com os povos da Mesopotânia e Fenícios;
Faraó: deus vivo (poder sacralizado), sacerdote supremo, administrador da justiça, comandante do exército, monarquia;
Pirâmide social: sociedade estratificada, privilegiados (faraó, família do faraó, nobres e altos funcionários, sacerdotes, escribas), não-privilegiados (camponeses e artesãos, escravos);
Religião egípcia: politeístas, Amon-Ré, Osíris, Isís (deuses representados sobre forma de: animais, humanos ou mista), construção de grandes templos (pirâmides);
Imortalidade: a alma era imortal, tribunal de Osíris, mumificação (a múmia era colocada dentro sarcófago e posteriormente no túmulo, juntamente com os seus bens e utensílios pessoais, alimentos);
Arquitectura: glorificar os deuses e o faraó, grandioso, eterno, duradouro, hipogeus, pirâmide de Gizé;
Pintura e escultura: cenas religiosas, vida quotidiana, lei da frontalidade, baixos-relevos, estátuas.

Geografia 10º Ano – Radiação Solar

Conceitos essenciais para a Unidade 2 “A radiação solar”:
A acção da atmosfera sobre a radiação solar
– A principal fonte de energia da Terra é o Sol;
– A energia solar radiante chega à superfície através de ondas electromagnéticas: raios ultravioleta, raios luminosos, raios infravermelhos;
Nem toda a energia solar recebida no limite superior da atmosfera chega a superfície da terra, perde-se devido a vários processos: absorção, reflexão, difusão;
Absorção: parte da energia solar é absorvida através do ozono, vapor de água, dióxido de carbono;
Reflexão: a energia solar ao incidir sobre um corpo sofre uma mudança de direcção, sendo reenviada para o espaço;
Albedo: é a parte de energia reflectida por um corpo, em relação à energia incidente;
Difusão: existe a dispersão da radiação solar em todas as direcções que é provocada pelas moléculas dos gases atmosféricos e partículas;
Radiação solar global: é a relação entre a radiação difusa (energia que atinge indirectamente a superfície terrestre) e a radiação directa (energia recebida na superfície terrestre directamente do Sol);
Efeito de estufa: alguns gases atmosféricos como o vapor de água e o dióxido de carbono absorvem grande parte da radiação terrestre, reenviando-a para a superfície terrestre. Como consequência, a temperatura à superfície terrestre é
Variação da radiação solar: inclinação dos raios solares, latitude, dia natural, insolação, relevo;
Variação anual da radiação solar: está relacionada com o movimento de translação da Terra e da inclinação do eixo terrestre em relação ao plano da eclíptica (solstício, equinócios);
A distribuição geográfica da radiação solar em Portugal: a radiação solar aumenta de norte para sul e de oeste para este;
Factores explicativos da distribuição geográfica da radiação solar em Portugal: latitude, aproximação/afastamento do mar, continentalidade, altitude, Cordilheira Central;
Isotérmicas: linhas que unem lugares com a mesma temperatura média;
Valorização e aproveitamento da radiação solar: energia solar, turismo.

Geografia – Energias Renováveis

Energia Eólica, um dos recursos renováveis mais valorizados e utilizados no país. São nas regiões do Norte e do Centro de Portugal que se encontram a maioria dos parques eólicos, pois são as regiões mais ventosas e onde estão as principais cadeias montanhosas.

Fonte: Statkraft
Explicações de Geografia – Porto – Póvoa de Varzim
Tlm: 91 882 70 69

Geografia 10º Ano – Os recursos do subsolo

Conceitos fundamentais da Unidade 2 “Os recursos do subsolo”:
As áreas de exploração dos recursos minerais: maciço antigo, orlas sedimentares (ocidental e meridional), bacias do Tejo e do Sado;
Minerais metálicos: cobre (Neves-Corvo, Aljustrel) , volfrâmio (Panasqueira), ferro, estanho;
Minerais não metálicos: sal-gema (Leiria, Lisboa, Faro), quartzo e Feldspato (Norte, Centro, Alentejo),caulino (litoral Norte);
Rochas industriais: areias, calcário, argilas (um pouco por todo o país);
Rochas ornamentais: mármore (Borba – Estremoz – Vila Viçosa), granito (Portalegre, Évora);
Águas minerais: naturais, gaseificadas ou não, ricas em sais minerais, propriedades terapêuticas (Vila Real, Viseu, Braga);
Águas de nascente: consumo diário, sem qualidades terapêuticas (Norte, Centro);
Águas termais; fins terapêuticos, estâncias termais, turismo termal (Norte, Centro);
A exploração e distribuição dos recursos energéticos: carvão, petróleo, gás natural, urânio,energia geotérmica;
Os problemas na exploração dos recursos do subsolo: custos de exploração,fraca acessibilidade, qualidade do minério, dimensão das empresas, indústria transformadora a jusante da extracção, novos produtos, dependência externa, impactes ambientais;
Novas perspectivas de exploração e utilização dos recursos do subsolo: redimensionamento das empresas, desenvolvimento da indústria transformadora, requalificação ambiental, investir nos subsectores com maior potencial, recursos renováveis, eficiência energética.

História 10º Ano – O modelo ateniense

Conceitos essenciais para a Unidade 1 “O modelo ateniense”:
Cidades-estados – Pólis;
Constituição da Pólis e a organização do espaço cívico: acrópole, habitações populares, ágora, teatros, estádios, pórticos, academia, liceu, espaço rural;
Elementos definidores da Pólis: território, corpo cívico, leis, culto, autarcia;
Democracia ateniense no século V a.C.: Clístenes, Péricles, cidadãos, democracia directa;
Principais instituições democráticas em Atenas: Eclésia, Bulé ou Assembleia dos 500, Corpo dos magistrados, Arcontes, Estrategos, Areópago, Helieu;
Os direitos dos cidadão: direito à liberdade, isonomia, isocracia, isegoria;
Os limites da democracia: mulheres, estrangeiros, metecos, existência de escravatura;
As grandes manifestações cívico-religiosas: culto cívico, festividades Pan-helénicas, jogos olímpicos, festivais Áticos, Grandes Dionísias;
A educação Grega: ecléctica, humanista, ler, escrever, contar, exercício físico, ensino da música, retórica, sofistas;
Arquitectura Grega: clareza, harmonia, ritmo, proporcionalidade, templos, teatros, ginásios, estádios;
Ordens arquitectónicas Gregas: dórica, jónica, corintio;
Escultura Gregas: relevo, estatuária independente, figura humana, simetria, proporção, anatomia.
Explicações de História – Porto, Póvoa de Varzim
Tlm: 91 882 70 69

Geografia 10º Ano – A população, utilizadora de recursos e organizadora de espaços

Conceitos essenciais para a Unidade 1 “A população, utilizadora de recursos e organizadora de espaços”:
– Evolução da população portuguesa desde os anos 50 do século XX até aos nossos dias;
– Taxa de natalidade, taxa de mortalidade, taxa de mortalidade infantil, crescimento natural, taxa de fecundidade, índice sintético de fecundidade, índice de renovação de gerações, emigração, imigração, saldo migratório, crescimento efectivo;
– Estrutura etária: pirâmides etárias, esperança média de vida;
– Índice de envelhecimento, índice de dependência de idosos, índice de dependência de jovens, índice de dependência total;
– Estrutura da população activa: população activa, população inactiva, taxa de actividade, sectores de actividade, nível de instrução e qualificação profissional;
– Os principais problemas sociodemográficos: envelhecimento demográfico, declínio da fecundidade, baixo nível de instrução e de qualificação profissional. precariedade laboral;
– Distribuição da população portuguesa: litoralização, bipolarização, densidade populacional, êxodo rural, êxodo urbano.