web analytics

Geografia – Mirandela: Cachão é a primeira localidade do país a ter gás renovável

Cachão é a primeira localidade do país a ter gás renovável

O Grupo Dourogás avançou, na passada terça-feira, com a primeira injeção de biometano na rede de gás natural, em Portugal, na Unidade Autónoma de Gaseificação (UAG) de Urjais, no concelho de Mirandela.

“Até agora, em Portugal, todas as redes de gás natural tinham apenas gás natural fóssil mas, a partir de hoje, há uma rede que tem uma percentagem de gás renovável: o biometano. E a população do Cachão será a primeira do país a ser alimentada por gás renovável”, adiantou Nuno Moreira, CEO da Dourogás.
O gás biometano tem origem num projeto pioneiro da Dourogás e da Resíduos do Nordeste (RN) – empresa intermunicipal que gere o sistema de tratamento de resíduos sólidos urbanos do distrito de Bragança – que permite a produção de gás 100% renovável a partir da digestão anaeróbia de resíduos orgânicos que são depositados naquele aterro sanitário.

Desde 2011, que a RN produz biogás que fornece à Dourogás que instalou uma unidade de abastecimento de gás natural a veículos, sobretudo os cerca de 40 camiões do lixo da Resíduos do Nordeste, outros veículos pesados que passam no local, a própria frota de logística do grupo, e também viaturas ligeiras de turistas e emigrantes.
Já em 2017, a Dourogás instalou um equipamento que faz a limpeza do biogás do aterro e transforma em biometano para ser substituto do gás natural, que já tem vindo a ser utilizado para abastecer as viaturas da RN.

“Desde 2020, foram criadas as condições regulatórias para se poder iniciar a injeção na rede e com este equipamento que faz o controlo da qualidade e do poder calorífico do biometano, de forma a garantir que este se adequa aos consumidores. Um tubo levará este gás desde o aterro sanitário até ao complexo agro-industrial do Cachão, onde abastecerá dez clientes industriais e cerca de 80 clientes domésticos”, adiantou Nuno Moreira.

A ideia é que os primeiros tempos possam servir para fazer ensaios nos equipamentos, para perceber se, até ao final do ano, será possível chegar a 100% de gás renovável nesta rede que é mais reduzida. “Os equipamentos de todos estes clientes estão preparados para receber biometano, já que este gás não exige adaptações face ao gás natural. No entanto, sendo esta a primeira injeção, a Dourogás considerou prudente ir injetando numa percentagem crescente”, acrescentou.

A Dourogás já investiu cerca de 1,5 milhões de euros nos equipamentos instalados no Cachão. O objetivo é “contribuir para a descarbonização da economia nacional, através da afirmação dos gases renováveis, nomeadamente do biometano 100% renovável. “Estamos no caminho para que Portugal deixe de ser importador de gás natural e passe a ser produtor, e até exportador, de gases renováveis”, acredita.

Fonte: Mensageiro de Bragança, consultado a 17 de agosto de 2022

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.